quarta-feira, 13 de julho de 2011

SONETO 141 – SHAKESPEARE



 Na verdade, eu não te amo com meus próprios olhos,
porque vejo em você um monte de defeitos;
mas é meu coração que ama o que eles desprezam
Que ao invés de ver se contenta em se apaixonar.
Nem meus ouvidos  com o som de sua língua se encanta,
Nem sentimento carinhoso é despertado por um simples toque,
nem gosto, nem um cheiro provocante surge
Em algum deleite sensual contigo sozinha;
Mas nem os meus cinco juízos, nem os meus cinco sentidos
Podem impedir o meu coração insensato de te servir,
tendo perdido toda a
forma humana,
reduzido a um escravo miserável e vassalo orgulhoso do seu coração.
Apenas em que eu considero a minha praga boa:
Que ela faça minha dor merecedora de pecado.

Um comentário:

  1. Que soneto mais lindo! ^^
    Shakespeare era fantástico mesmo, rs

    Beijos, nanda
    www.julguepelacapa.blogspot.com

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...